Como interface entre nosso mundo interno e externo, o Lung administra a segurança externa. Às vezes chamado de "terceiro pulmão, a pele é a superfície mais externa de si mesma, fornecendo um envelope elástico que nos contém, protegendo contra a intrusão.

Medicina Tradicional Chinesa

O pulmão transpira através da camada dérmica: através do suor, além de abrir e fechar os poros, ele ajusta continuamente a umidade e a umidade do corpo. Como uma exposição de porosidade variável, o pulmão aperta e engrossa a pele para evitar efeitos indesejáveis e selar em preciosos recursos internos, ou solta e afrouxa a pele para liberar substâncias ou sentimentos internos indesejados e permitir a penetração das influências desejadas.

Na Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a pele é vista com grande reverência. Ela é maior que uma barreira entre o interior do corpo humano e o ambiente externo. Ela está ligada à função órgão do pulmão (ou seja, uma função respiratória/eliminadora) e, conseqüentemente, à energia do elemento metálico.

Mas há mais: Sua epiderme é especialmente importante, pois é um órgão reflexivo que oferece importantes sinais indicadores do que está acontecendo dentro de seu corpo. Qualquer problema de pele recorrente exatamente na mesma área é um sinal do seu estado de saúde. A função de sua pele como fornecedora de sinais naturais de alerta precoce pode ajudá-lo a manter ou alcançar um melhor estado de bem-estar.

A pele: O Terceiro Pulmão

Todos sabemos que fumar é extremamente ruim para nossa saúde, mas poucos reconhecem o impacto cumulativo especialmente terrível que o fumo tem sobre o bem-estar e a qualidade da pele. Isto porque a pele e os pulmões têm uma conexão muito específica e direta e é por isso que a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) se refere à pele como o pulmão.

Para a maioria das pessoas, vinte a trinta minutos de respiração acelerada três vezes por semana é bastante adequado para a saúde do corpo e da pele. Durante esses períodos, a respiração deve ser suficientemente profunda para esvaziar completamente os pulmões e depois renovar completamente o conteúdo de oxigênio de seus pulmões. A falta de respiração freqüente e profunda faz com que partes dos pulmões e uma parte substancial do alvéolo pulmonar permaneçam colapsadas.

Os especialistas apontam para a necessidade de respirar no abdômen e não apenas na parte superior dos pulmões. Esta ação auxilia o movimento do diafragma, o maior músculo do corpo que funciona como uma bomba significativa para o movimento da linfa e da água em todo o corpo.

Os pulmões (além de rins, pele e cólon) são um dos quatro órgãos significativos para a eliminação de resíduos corporais (gás, fluidos e sólidos). A pobre energia pulmonar se manifesta como distúrbios da pele e das mucosas, além de um fluxo venoso e linfático deficiente. Os pulmões e o intestino grosso são responsáveis pela separação, destilação e remoção.

A zona reflexa para os pulmões é encontrada no rosto, ou seja, nas bochechas estendidas no canto da boca, ao lado do maxilar até a orelha, de cada lado.

Os pulmões são pareados com o intestino grosso em MTC (pulmões: yin e intestino grosso: yang). Pertencem ao componente metálico/época de outono. Os pulmões são onde a energia interna dos nutrientes no sangue se combina com a energia externa do ar para fornecer energia.

Conclusão

A pele é conhecida como o terceiro pulmão na MTC, pois é o limite entre o interno e o externo. Por esta razão, a pele é governada pela energia do metal. A respiração (pulmões) impacta o movimento da energia vital em todo o corpo.

É dito: "Para onde vai o chi, a energia flui". Exercícios corpo-cérebro como a ioga demonstram como a respiração e a finalidade podem levar à energia com suas conseqüentes vantagens curativas.

Artigo anteriorOs remédios fitoterápicos podem curar o ADHD?
Próximo artigoMedicamentos alternativos podem tratar a afasia?